terça-feira, 10 de março de 2009

Enquanto ninguém sabe.


"O que você faz quando ninguém te vê fazendo?Ou que você queria fazer se ninguém pudesse te ver?..."

Eu fazia a mesma pergunta sempre que me envolvia com alguém que meus pais ou outras pessoas não gostavam. Dezessete anos nas costas e já adquiri experiência com coisas do tipo. Eu não sou fã de esconder, também não exponho pra todos, porém em certas circunstâncias é preciso. Meus pais são meus primeiros empecilhos, desde criança eu costumo atrair as pessoas mais esquisitas e problemáticas da face da terra só que isso não significa que eu venha a me tornar alguém parecido, nem que eu comece a ter surtos psicóticos ou crises de loucura, mas vai dizer isso pra eles. Impossível.Por isso é que eu deixo que pensem,que imaginem porres gigantescos,noites de rock and roll e strip pôquer enquanto eu estou apenas estudando física. Não bastassem minhas amizades também não consigo agradar com minhas relações amorosas. Não gosto muito de coisas comuns (leia-se quanto mais estranho e enigmático mais envolvimento meu há na relação), daí preciso sempre esconder os cabeludos, socialistas e tatuados que me aparecem nessa longa estrada da vida e sinceramente namoro de portão é um tédio, além de outras situações que me envolvo e que causariam sérios danos físicos (risos). A conclusão que chego é que assumir uma relação não é sempre a melhor alternativa, tudo tem seus prós e contras... O que ninguém percebeu ainda é que um telefonema ameaçando um mês de castigo, puxões de orelha e discussões bizarras só levam as pessoas a omitirem com quem andam e o que fazem quando ninguém as vê fazendo.

2 comentários:

betella's disse...

FATOS!

Larii disse...

exatamente oqe acontece comigo...
atraio e me enteresso por ios 'diferentes' de essoas, e por isso acabo teno de esconder da minha famiia alguns amigos e minhas relções amorosas...


bgsmil ;*