segunda-feira, 29 de março de 2010

O que eu tenho a dizer sobre os hospitais


Paredes brancas.

Lençóis de cores mortas pra contradizer as flores recém-chegadas

Pacientes e aventais com cheiro de coisas novas.

Não é permitida a entrada de acompanhantes sexuais.

Álcool em gel em todas as extremidades.

Horário marcado com médicos que não gostam de relógio.

Cantadas de pedreiro também acontecem entre os enfermos.

Carne de panela e gelatina azul no café-da-manhã.

TV a cabo, tédio e ‘caso Isabela’ nos domingos de paz.

O que uma porcaria de hérnia não faz?

Conhecer enfermeiras por nome e sobrenome.

E as agulhas então... “agora é que são elas”.

Pra não dizer que não tenho coisas boas a falar sobre hospitais:

o jeito como afofam os travesseiros... é demais!

2 comentários:

Thai disse...

Eu trabalho em um hospital, e gostei de ler seu texto.. É bem isso mesmo, rsrs
Suas rimas.. Vc manda bem :)

beijcoa :*

Gustavo Cruvinel disse...

Ain amor, muito lindo. Passei pela mesma coisa e me identifiquei muito com esse texto.( Mas não foi por causa da hérnia) kkkk'

Beijos e abraços ;)